Empresas concorrentes trabalham juntas para ganhar competitividade e conhecimento

Projeto inédito na modalidade consórcio de baterias está sendo realizado pelo Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica

A indústria automobilística é a maior consumidora de baterias de chumbo ácido. Devido às novas tecnologias utilizadas nos veículos modernos, hoje há uma maior exigência, não só por qualidade, mas também pelos requisitos elétricos dessas baterias, que garantem maior vida útil e maior ciclabilidade, por exemplo. Para atender a essa demanda, a bateria precisa ser submetida a ciclos de carga e descarga diferentes dos ciclos exigidos pela tecnologia SLI-Start Ligttning Ignition (a mais utilizada até então).

De acordo com os pesquisadores Leandro da Conceição e Marcos Berton, do Instituto Senai de Inovação (ISI) em Eletroquímica, esses novos requisitos foram amplamente discutidos no XIX ENBAT – Encontro Nacional de Produtores de Baterias de Chumbo Ácido, realizado no final de 2016 em São Carlos – SP, quando ficou evidente que as empresas nacionais de baterias de chumbo ácido necessitam inovar para terem no seu portfólio produtos que atendam às novas demandas do mercado. “Diante da necessidade de desenvolver baterias melhoradas, o ISI em Eletroquímica elaborou um plano de projeto em parceria com um grupo de 11 fabricantes brasileiros de baterias de chumbo ácido para o desenvolvimento de solução tecnológica que aumente a eficiência e o tempo de vida das baterias com o uso de nanotecnologia”, contam os técnicos responsáveis pelo projeto.

O projeto do consórcio foi dividido em duas fases. A primeira delas teve início 01 de julho de 2017 e terá a duração de seis meses. A segunda fase tem início previsto para janeiro de 2018 e deve ir até dezembro de 2019. “É importante ressaltar que cada fabricante terá a sua solução tecnológica e, consequentemente, cada um terá um produto exclusivo, com as características da empresa”, afirmam Leandro e Marcos.

O grande diferencial do projeto de inovação é que pela primeira vez no Senai será desenvolvido esta modalidade consórcio, com 11 empresas do segmento que possuem a mesma necessidade de uma solução tecnológica para atender a novos mercados. “O projeto permitirá que as empresas superem um desafio tecnológico relevante que resultará no aumento de competitividade da indústria brasileira de baterias de chumbo ácido para atenderem o mercado de reposição para o setor automotivo”, pontuam.

O ISI em Eletroquímica

O Instituto Senai de Inovação em Eletroquímica foi o primeiro instituto do Senai a ser inaugurado no Brasil. Com infraestrutura laboratorial e de recursos humanos altamente capacitados, realiza pesquisas aplicadas à indústria, desenvolvendo produtos e processos inovadores de combate à corrosão, sensores eletroquímicos, baterias, tintas inteligentes, entre outros.

Serviço:

ISI em Eletroquímica

Para saber mais sobre o instituto, acesse senaipr.org.br/instituto-de-inovacao

SOBRE O SISTEMA FIEP

O Sistema Fiep é composto pela Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Serviço Social da Indústria (Sesi), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL).  As instituições trabalham integradas em prol do desenvolvimento industrial. Com linhas de atuação complementares, realizam a interlocução com instâncias do poder público, estimulam o fomento de negócios nacionais e internacionais, a competitividade, a inovação, a tecnologia e a adoção de práticas sustentáveis, e oferecem serviços voltados à segurança e saúde dos trabalhadores, à educação básica de crianças, jovens e adultos, à formação e aperfeiçoamento profissional, além de capacitação executiva.